quinta-feira, 27 de junho de 2013

HÁ MÚSICAS ETERNAS, COMO A "PEDRA FILOSOFAL", DE ANTÓNIO GEDEÃO E INTERPRETADA POR MANUEL FREIRE


video
Rómulo Vasco da Gama de Carvalho (Lisboa24 de Novembro de 1906 - Lisboa19 de Fevereiro de 1997português, foi um químicoprofessor de Físico-Química do ensino secundário no Liceu Pedro Nunes e Liceu Camões, pedagogoinvestigador de História da ciência em Portugal, divulgador da ciência, e poeta sob o pseudónimo de António GedeãoPedra Filosofal e Lágrima de Preta são dois dos seus mais célebres poemas.
Manuel Augusto Coentro Pinho Freire (Vagos, 25 de Abril de 1942) é um cantor português. Frequentou o ensino liceal em Ovar e Aveiro, chegando a estudar Engenharia, em Coimbra e no Porto, sem se licenciar. Entrou no Teatro Experimental do Porto, em 1967, aceitando um convite de Fernando Gusmão. Entretanto estreava-se na música, com um EP que continha "Dedicatória", "Eles", "Livre" e "Pedro Soldado", em 1968. O disco não escapou à censura, vindo a ser probidos os temas "Lutaremos meu amor", "Trova", "O sangue não dá flor" e "Trova do emigrante". Entretanto aparecia na televisão, em Zip-Zip, em 1969, para cantar Pedra Filosofal, poema de António Gedeão, que o popularizou e cuja interpretação lhe valeria o Prémio da Imprensa desse ano.

Sem comentários:

Enviar um comentário